Green Map é lançado em Natal

Na última quarta-feira (18), foi lançado no salão nobre do Palácio Felipe Camarão, o Green Map Natal (Mapa Verde Natal). Uma ferramenta interativa que pretende promover um estilo de vida mais sustentável para os cidadãos, informando sobre lugares e iniciativas relevantes socioambientalmente. Além de facilitar o diálogo entre a comunidade e a Prefeitura. O trabalho está sendo desenvolvido pela a Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (SEMURB) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do curso de Design.

O Green Map é um mapeamento dinâmico e real das iniciativas sustentáveis, lugares e oportunidades de engajamento com o ambiente natural, além de locais de interesse histórico e cultural. Ou seja, aquelas praças públicas ou privadas que são mais arborizadas, que tem acessibilidade, brinquedos, playground, locais que façam uso de energia renovável, reuso de água e entre outras práticas. Com isso, o individuo descobre, por exemplo, onde estão os parques naturais, empresas que vendem ou que instalam energias renováveis, onde fica a feira de orgânico e até quem está plantado orgânico na cidade. E cada lugar terá um histórico com fotografias e a população vai poder criar um ranking disso tudo.

Para o titular da Semurb, Marcelo Rosado, o Green Map busca fortalecer  a economia local e as comunidades, cria a possibilidade de maior conhecimento e entendimento da cidade, tanto do ponto de vista ambiental como da vida urbana. “Você vai vivenciar os equipamentos urbanos e o meio ambiente que ainda  existe preservado dentro de Natal”, comenta.

E ressalta que além de tudo, o Green Map é uma ferramenta interativa porque o cidadão terá todas essas informações especializadas quase em tempo real, num sistema semelhante ao Google Maps. “A medida que essas informações vão sendo mapeadas, a cidade ganha um mapa temático e a população vai poder consultá-lo, acrescenta.

O coordenador do curso de Desing da UFRN, Olavo Bessa, explica que o Green Map é  uma visão muito realista da cidade, onde qualquer pessoa pode fazer o mapeamento, que é gerenciado por uma equipe que tem um domínio da ferramenta para uma determinada região. “A UFRN junto com a Semurb tem o direito de licença de mapear a região de Natal, mas qualquer pessoa que tenha um celular com o aplicativo poderá fazer a inclusão de um ponto verde na cidade que será incluído por essa equipe, diz. Outro ponto de destaque do Green Map, é que com ele o cidadão pode selecionar um aspecto que queira observar da cidade, por exemplo, a questão de mobilidade, e tudo que já foi mapeado sobre isso vai aparecer no mapa”.

Na segunda etapa do projeto, a Prefeitura deverá lançar algumas certificações, como o selo de acessibilidade e o selo de iniciativas verdes. “O segundo passo vai ser qualificar esses cadastros que vão aparecer no mapa, e saber se o local está mais ou menos acessível e quais outras práticas sustentáveis ganharam destaque’, revela Marcelo Rosado.

 

Fonte: Prefeitura do Natal

Deixe uma resposta